sexta-feira, maio 23, 2014

Voltei

Até que enfim que encontrei a senha para voltar aqui.
Embora retomar a partilha daquilo que interessa.

segunda-feira, junho 27, 2011

Leite, a causa da diabete juvenil?

Não dê aos seus filhos leite de vaca, especialmente se houver um historial de diabetes na sua família. Por mais fantasioso que possa parecer, beber leite de vaca, durante a infância, pode despoletar diabetes de tipo I anos mais tarde em jovens predispostos genéticamente para isso. Isto sugere que a diabetes juvenil é um certo tipo de alergia a alimentos. Isto também significa que afastando as crianças dos produtos lácteos durante o primeiro ano de vida, provavelmente o periodo mais crítico, pode salvar muitas crianças de ficar diabéticas.

A evidência de que o leite pode conduzir á diabetes de tipo I está a aumentar.
Eis como os especialistas pensam que acontece. Algumas proteinas do leite de vaca produzem o antigene (substância estrenha) que enlouquece o sistema imunitário e o faz atacar os seus próprios tecidos - neste caso as células betas do pâncreas - destruindo a capacidade que estas células têm para produzir insulina.

Além disso, as crianças que são alimentadas ao peito da mãe e privadas de leite de vaca por periodos mais longos estão muito menos dispostas a desenvolver diabetes. Outro estudo recente feito pelos investigadores do Children's Hospital em Helsínquia, comparando a exposição precoce ao leite de vaca com riscos posteriores de diabetes, é incriminatório. Descobriram que crianças que só beberam leite materno durante os primeiros 2 a 3 meses de vida atenuaram as suas hipóteses de desenvolver diabetes em 14 a 40%. Periodos mais longos em que se evita o leite de vaca diminuem ainda mais os riscos de diabetes. Crianças a quem não se forneceu suplementos de leite de vaca até aos 4 anos de idade tiveram um risco 50% menor de desenvolver diabetes.

Investigadores suécos no instituto Karokinska em Stocolmo também verificaram que os jovens desde o nascimento até aos 14 anos que comem mais comidas ricas em proteínas e hidratos de carbono complexos, e alimentos com nitrosaminas estão mais sujeitos a desenvolver diabetes. Eles poêm a hipótese de que algumas proteínas podem atacar directamente as células beta do pancreas; por exemplo, alimentos ricos em hidratos de carbono complexos tais como o pão também são muitas vezes ricos em gliadina de trigo: uma proteína que já foi demonstrada prejudicar células beta em ratazanas. As nitrosaminas, agentes causadores de cancro, algumas vezes encontrados em toucinho cozinhado, poderam também ser tóxicas para as células beta.

"Sabemos que os factores genéticos predispoêm algumas pessoas para a diabetes. Mas todos os dados sugerem que o estilo de vida, sobretudo dieta e exercício, podem determinar se esses factores genéticos se manifestam em doença."-James Barnard, Ph.D, professor de ciência fisiológica na UCLA.


Autor: Carper, Jean
Titulo: Food, your miracle medicine
London, Simon & Schuster Inc, 1997
p.488

Etiquetas: , , , ,

segunda-feira, abril 11, 2011

Progresso na Huíla....

Progresso...
105 Mil Pessoas residentes na Comuna da Huíla, Município do Lubango, vão este ano beneficiar de novos serviços Sociais, com a construção de obras inseridas no Programa Integrado Municípal de Combate á fome e a pobreza.
Esta em curso a reabilitação da estrada que liga o quilómetro 16 á sede da Comuna do Palanca , em uma extensão de 30 Km.
As populações irão beneficiar de uma melhor assistência Médica e medicamentosa, construção de postos de saúde, centros Médicos, Escolas, lares para idosos, e mercados Municipais, e outras infra- estruturas.
Depois das construções de Escolas na Povoação de Capelongo, Manquipa, Munhino, em um total de 25 escolas, poderão ser agora inseridas, milhares de crianças em idade escolar, que se encontravam FORA, do sistema normal de ensino, sendo que a meta será a inserção de TODAS as crianças em idade escolar, até 2015.
CF

Etiquetas:

Batalha contra as minas

Batalha das Minas
A comissão Executiva de desminagem e os seus parceiros anunciaram que tinham desactivado, de 1996 até Março deste ano, 450 Mil minas em todo o País e desactivado mais de DOIS MILHÕES de engenhos explosivos não detonados.
O processo de desminagem tem sido lento, devido ao facto de de não existirem mapas de localização das referidas minas, também porque tivemos 14( Quatorze) Exércitos, cada um deles com, métodos diferentes de minagem.
O processo de desminagem Humanitária na Provincia do Kuando-Kubango entrega no próximo dia 19 na Comuna do Longa, Município do Cuito Cuanavale terras livres de minas.
Os terrenos livres de minas serão entregues à População.
A organização não governamental "The Halo Trust" já entregou em todo o País mais de 85 Milhões de metros Quadrados de áreas desminadas.

CF

Etiquetas:

quarta-feira, janeiro 12, 2011

A resposta ao preço do “melão de ouro”... De Almeirim...





E aqui esta a resposta do responsavel.

Mas que barbaridade!!!!!!!!!!!!



2011/1/10 Rui Catalo

Junto envio os custos do “melão de ouro”


Melão casca de Carvalho de Almeirim


Custo em Portugal

1,88€


Frete TAP

7,8€

9,68€


9,68€ x 1,35€ = 13,07 usd per KG = CIF


CIF

13,07€

Direitos +custos despacho

3,27€

16,34€

Custo em armazém

1,63€

Peso de embalagem "paletes e caixas" 10%


17,97€

Preço liquido em armazém


Margem 33,5%

Preço de venda 24usd / kg = 2352kz / kg

Agora ainda não estão incluídos os custos de embalagens local nem a
possibilidade de quebra do produto (que é alta), pergunto, 33.5% é
alto para um produto que é perecível????

Agradeço o reenvio de este e-mail com os custos do “melão de ouro” a
quem enviou este e-mail.

Infelizmente não conseguimos fazer milagres.
Melhores cumprimentos

Rui Catalo

Melãozinho de Ouro ....


Melão de Ouro (casa dos frescos)

Caros Amigos,
Antes de mais desejar um feliz ano novo e que 2011 seja melhor que 2010 uma vez que não foi um ano fácil para a maioria dos Angolanos.
Caríssimos escrevo esse mail no intuito de alertar-vos de algo que acredito tratar-se de um autentico assalto(quase a mão armada) não só aos nossos bolsos mas também a nossa capacidade intelectual, de perceber o que esta certo e errado, alias eu penso que esse facto passou os limites do bom senso, que por razões das dificuldades de toda ordem ainda existentes no nosso pais, por motivos que todos nos conhecemos as vezes acabamos por fechar os olhos a certos exageros, mas acho que esta na hora de dar um BASTA!!

Esta semana depois do descanso merecido para enfrentar mais um ano nesta nossa terra querida, fui tranquilamente fazer umas compras básicas a famosa CASA DOS FRESCOS, básicas porque acredito que até os mais abastados têm alguma dificuldade em fazer compras neste estabelecimento comercial, devido ao exagero nos preços praticados.
Como ia dizendo, passava eu pela zona dos frescos e não pude deixar de constatar esse facto, todos nos gostamos de uma fruta uns mais do que outros, mas todos temos uma fruta preferida, e todos nos sabemos o quanto são importantes para a nossa dieta alimentar diária, eu por exemplo adoro Melão, e ao ver um na prateleira fui inocentemente tentar colocar no meu cesto para comprar e obviamente depois degustar junto da minha família, se não tivesse provas penso que pouca gente acreditaria, não é que o inocente MELÃO custava nada mais nada menos que a quantia de9.803.01kzs o equivalente em dólares ao cambio oficial (105.40usd). (80,574,00 Euros)
Amigos acreditem que por alguns minutos parei e pensei que fosse um engano, chamei a funcionaria e ela disse que realmente aquele era o preço uma vez que se tratava de fruta importada.
Agora pergunto-me, será que nós os Angolanos somos assim tão ignorantes que não sabemos o quanto pode custar um melão no estrangeiro, ou será da triste fama que temos de sermos os ricos, milionários, temos que pagar assim tão caro por um melão, talvez o melão tenha vindo em 1ª classe no avião ou se calhar até veio de jacto privado, porque só assim pode se justificar que uma fruta que em qualquer supermercado no estrangeiro por mais caro que seja, não custa mais do que 10 euros e mesmo assim estou a ser generoso, alias sabemos nós que obviamente eles vão comprar a fornecedores que vendem a grosso, portanto com preços bastantes reduzidos. Mas que taxas são essas que a nossa alfândega esta a cobrar?? Que meio de transporte e este?? Que gasosa?? Não acredito que haja justificação.
Meus compatriotas acho que devemos ter um outro tipo de atitude com essa gente que se aproveita das nossas dificuldades para criar um "El dourado" nos seus países de origem, muito sinceramente não acredito que este dinheiro, que vale esse Melão de ouro e para beneficiar os nossos filhos, ou a nossa terra que tanto precisa. Isto é um autêntico roubo.
Aonde estão as autoridades, Policia Económica, Inadec, será que não existe ninguém para ajudar a por esses ladrões na linha.

Daí o meu apelo a sociedade civil para deixarmos de frequentar esse tipo de lugares acho que só assim será possível conter essa onda de aproveitadores.

Por favor amigos espero as vossas contribuições, e que façam que este mail de a volta ao mundo para verem bem o quanto custa viver na nossa terra que tanto amamos.

Abraços,

CF

segunda-feira, maio 17, 2010

«BRUTOS» AUTOMÓVEIS.... Na banda !

«BRUTOS» AUTOMÓVEIS
Frequentes vezes nos têm sido posta a seguinte questão: «donde vêm tantos «brutos» automóveis que circulam na cidade de Luanda? Vêem-se hoje mais automóveis luxuosos do que nos tempo do colonos». Há um certo exagero nestas perguntas mas a verdade é que temos visto, nos últimos meses, cada «bruto» automóvel que nos obriga realmente a perguntar donde vêm. Automóveis compridões, de diversas marcas, tipo americano, Mercedes, Volvo, Opel, Alfa Romeus, BMW, novinhos em folha, circulam, em grande número, pela cidade de Luanda. Vemos na baixa, vemos nos musseques! Correm rumores de que a maior parte desses «brutos» automóveis, novinhos em folha, são ofertas de países amigos ao Governo da R.P.Angola.. Sobre isto o povo só foi informado oficialmente da oferta de cerca de 20 automóveis «Volvo», feita pelo Governo da República da Nigéria. Rumoreja-se ainda que os «brutos» automóveis, novinhos em folha, são uma necessidade no momento actual dado o grande número de viaturas que os retornados carregaram consigo, daí a aquisição em grande quantidade, muitas das quais vindas de avião. De qualquer forma, oferta ou não, necessidade ou não, o povo interroga-se quando vê passar os «espadalhões», tanto oficiais como privados (porque também vêem-se muitos «brutos» automóveis privados). É que faz lembrar outras eras, embora tenha mudado a cor dos utentes, em que os capitalistas colonialistas preocupavam-se mais com a exibição dos mais luxuosos automóveis do que as viaturas para a recolha de montões de lixo que pejavam (e pejam ainda) os nossos sujos musseques. Supomos não tardar, por parte do Governo, a disciplina na aquisição de automóveis, preferindo-se o utilitário e económico ao espampanante. Parece mentira mas, proporcionalmente, temos visto mais «brutos» auto-móveis em Luanda do que vimos na cidade de Berlim, capital da R.D.A.

II. ELITES Já se ouve aqui e além, em Luanda como em algumas cidades e vilas do interior que temos visitado, que este ou aquele fulano é da elite. Mas o que é a elite? Num livrito encontramos a seguinte definição: «A elite compreende as pessoas e os grupos que, graças ao poder que detêm ou à influência que exercem, contribuem para a acção histórica duma colectividade, seja pelas decisões tomadas, seja pelas ideias, sentimentos ou emoções que exprimem ou simbolizam». Autoridade (poder) e influência, caracterizam as elites numa sociedade. Definição correcta, sem dúvidas. O elitismo é uma realidade nesta nossa sociedade, ainda há bem pouco tempo colonizada. Hoje como no passado, certos nomes significam autoridade, significam influência, significam atenções especiais, significam facilidades, porque são membros de determinadas famílias (a maioria das quais «boas» famílias africanas da era colonial), verdadeiras elites na nossa sociedade. Involuntária e inconscientemente, essas elites gozam de privilégios que o peso do nome das famílias representa. Isto é palpável em todos os sectores de actividade da nossa sociedade, políticos ou não. As elites estão em evidência, em todos os lugares de autoridade e influência! Nesta fase inicial da nossa existência como país, é natural o surgimento de novas elites em substituição das antigas, as coloniais. E também é natural que a elite formada pelas «boas famílias» africanas da era colonial continue com a sua ascensão na nova sociedade. Compreende-se tudo isto. Porém, é necessário impedir que essas elites se tornem dominantes, quer dizer, é necessário impedir que os laços de amizade, laços de parentesco, laços de casamento, as trocas de favores, apoiem e reforcem a comunidade de interesses entre as elites. Só um facto nos preocupa: que as elites venham a transformar-se em autêntica classe dominante! Daria maka com certeza!

sexta-feira, abril 30, 2010

Caros leitores

Alterações ao blogger e o ferrao.org.

blog

A partir de amanhã, 1º de Maio de 2010, este blog estará congelado, pelo menos até se encontrar uma alternativa. A utilização do software do blogger deixará de estar disponível para computadores alheios à google. A todos os que nos honraram com as suas visitas, o nosso muito obrigado.

Etiquetas: ,

segunda-feira, abril 19, 2010

Deus

É uma perda de tempo afirmar que deus não existe. É como dizer que não existe fidelidade, só infidelidade. Deus existe porque foi criado pelo Homem.
Deus, este produto, fruto da criatividade e da ambição humana de tudo controlar através do conhecimento foi propagado ao longo dos tempos através da educação- em algumas famílias por convicção e noutras por uma questão prática de integração ou socialização (fazendo prevalecer a cultura dominante).
Outra coisa que também foi inventada pelo homem: Os países.
Como negar que existem?
Estão nas mentes das pessoas!
Talvez o problema não resida aqui, mas sim noutro lado:

Verbo
e.xis.tir, instransitivo
ter existência, ser real

e.xis.tên.ci.a português europeu feminino
facto de existir, de viver:

Adjetivo
re.al, comum de dois gêneros
que de facto existe, isto é, não é imaginário

A questão é que o verbo existir tem duplo sentido. Por um lado refere-se à realidade mas por outro, frases como "uma existência faustosa" conferem-lhe uma concessão ao domínio da abstracção.
Aqui está: Concreto Vs Abstracto

Em debates desta natureza seria necessário precisar primeiro com que sentido o verbo existir está a ser usado por cada elemento para que os conceitos ou ideias pudessem atingir a mente dos respectivos interlocutores.

É caso para dizer:
Sem esta concretização, não há abstracção.

Sugiro duas combinações possíveis:
1. Deus existe e os países não (forma abstracta)
2. Deus não existe mas os países sim (forma concreta)

De facto não é preciso dizer que deus não existe. Basta mostrar que a frase "deus existe" está errada porque perverte a definição do verbo existir.
Doravante não mais interpretarei a frase "Deus não existe" como uma negação de "Deus existe" mas sim como uma simples AFIRMAÇÃO.

segunda-feira, março 29, 2010

Nomes próprios - escala de frequência

Usando as listas de colocação dos professores no concurso de 2009 (92500 nomes, quase 1% da população de Portugal) seleccionaram-se os antropónimos que apareciam no início: excluíram-se os apelidos. Resultaram 2038 nomes próprios distintos, dos quais 700 correspondem a ocorrências únicas (assinaladas com a frequência relativa igual a 0.00068%). Pela lista ficamos a saber que os nomes próprios femininos mais vulgares são:
Maria
Ana
Carla
Sandra
Paula

Os nomes próprios masculinos mais vulgares são:
José
João
António
Luís
Pedro

O nome de um em cada dez portugueses começa por Maria. 12 nomes próprios são suficientes para chamar cinco milhões de portugueses (50%). Para chamarmos 90% dos portugueses, bastam 188 nomes próprios. Nos últimos anos, alargou-se significativamente o número de antropónimos efectivamente usados em Portugal, independentemente das validações oficiais. Talvez os portugueses estejam a tornar-se menos conservadores na escolha dos nomes próprios. A tabela completa pode ser descarregada aqui.

Etiquetas: ,


hits: