segunda-feira, março 28, 2005

Muzongué

(sopa de peixe à moda de Benguela – Angola, segundo João Leite Velho)

Muzongué tradicional angolano mais ou menos para 6 pessoas

INGREDIENTES

- Farinha de pau (farinha de musseque)
- 4 ou 5 tomates bem maduros de tamanho médio, de preferência tomates em cacho pois são os mais saborosos
- 3 a 4 cebolas
- Batata doce
- Mandioca
- Gindungo. Preferivelmente de Cahombo pois estes dão um paladar mais exótico
- Postas de garoupa ou corvina, qb e grossas
- Óleo de palma
- Limões maduros

CONFECÇÃO

Numa panela grande, colocar os tomates e cebolas cortados aos quartos, uns dois ou três gindungos de Cahombo, àgua a contar com a entrada da batata doce e da mandioca (que só devem fazer a sua entrada no caldo depois da cebola e tomate estarem quase cozidos, afim de que não se tornem puré), óleo de palma de forma a que cubra a superfície da àgua e sal qb.

Deixar cozer um pouco o tomate e a cebola, quando estiverem quase cozidos, juntar então a batata doce e mandioca cortados aos pedaços que não devem ser muito pequenos. Deixar cozer até que a batata doce e mandioca estejam quase cozidas. Deve-se então esmagar o tomate com um garfo, de modo a que soltem bem a polpa. Provar o caldo para verificar se está bom de sal, corrigir se necessário e juntar então as postas de peixe até que este esteja bem cozido.

É importante controlar bem o tempo de cozedura da batata doce e da mandioca, afim de que se mantenham inteiras até que o peixe esteja cozido. Posto isto, retirar a panela do fogo e deixar que o óleo de palma volte todo à superfície do caldo.

Numa taça deitar a farinha de pau e com uma colher retirar da superfície do caldo o excesso de óleo e vertê-lo sobre a farinha de pau e mexer com um garfo até que fique com uma côr amarela mas sem ensopar.

FORMA DE SERVIR

Retirar um dos gindungos do caldo, colocá-lo no prato e espremer um pouco de limão e esmagar o gindungo. Também se pode utilizar gindungo fresco. Retirar um pouco de mandioca, batata doce uma posta de peixe e deitar o caldo por cima.

DEGUSTAÇÃO

Comer e chorar por mais.

quinta-feira, março 24, 2005

Introdução do elemento Raúl no blog...

Em resposta aos incessantes apelos por parte dos meus familiares, e com o intuito de contribuir para a expansão do nome da família (da forma que é, de momento, possível), aqui vai um pouco de poesia para todos aqeles que já sentiram saudade de algo:


Saudade arde – arde Saudade

Arde Saudade. Saudade, arde!
Se nos farda de tristeza, que nos farde.
Arde à vontade, que já vens tarde –
- o fogo por que choras já não arde!

São sons e imagens dispersas,
Do meu passado agora confuso,
Excertos de memórias emersas
Da memória saindo em parafuso

Que em mim adormecem lentamente
Na mente que lhes serve de leito
à chegada inevitável do presente
vão alcançando o sono perfeito.

Quanto mais dormem as minhas memórias,
por reminiscências se tornarem
mais os episódios passam a histórias,
por menos vezes se abordarem.

Então a Saudade arde,
por se findar o seu sustento
perde o lugar, vencida pelo momento!
O problema é que em mim a Saudade arde
No Coração!
Arde Saudade, arde!


5/11/1999
Raúl Ferrão
P.S. - Não vale gozar! :)

quarta-feira, março 23, 2005

nova ferroa

Acabei de saber...e é lá para Agosto...

Pelo menos vamos contribuindo para o rejuvenescimento deste país que, aos poucos, se vai encapsulando, definhando, com medo de soluções diferentes, novas. Depois de uma grande abertura, lá por alturas de ABRIL, enquistámos, extremámos posições, rotulámo-nos uns aos outros e começámos a perder o discernimento necessário para resolver situações difíceis, para bem de todos.
Muitos perderam a coragem para denunciar os aproveitamentos que sucessivamente foram surgindo com receio de perder alguns, pequeninos, privilégios.

É grande a responsabilidade destes avós todos que estão a aparecer. É preciso possibilitar a estes nossos netos um desenvolvimento adequado, equilibrado, saudável de espírito e corpo, de cidadania, conseguirmos que eles saibam escolher o melhor caminho entre os muitos que se lhes depararão...
Esta nova bebé será como os outros, feliz, interveniente, honesta, não egoísta, enfim, tudo o que de melhor desejarmos.

E sabem porquê? Porque tem uma família unida, feliz, interveniente e honesta também.

Uma beijoca, papás!

segunda-feira, março 21, 2005

A mulher mais feliz do mundo


Mais uma fotografia da mulher mais feliz do mundo.

domingo, março 20, 2005

Democracia em sofrimento

Muitos são os pilares da Democracia. No dia em que os noticiários abriram com a notícia da morte de mais dois jovens agentes da Polícia, é tempo de fazer declarações políticas, ao contrário do que afirmou o Ministro da Administração Interna. Compreende-se a sua atrapalhação.
Como em todas as instituições, pode-se detectar dentro da Polícia tendências contraditórias, e a própria sociedade civil não manifesta uma posição clara e este respeito. A falta de clareza estende-se até aos que detêm a responsabilidade de exercer uma acção pedagógica, isto é, aos jornalistas.
Trinta e um anos passados sobre o 25 de Abril deveríam ter sido suficientes para erigir a Polícia - instituição vocacionada para a segurança dos cidadãos - a um dos pilares mais necessários da Democracia. Mas ouvem-se vozes à revelia deste entendimento. Desde o uso não inofensivo do calão bófia até posições mais graves de quem se apresenta como democrata sem demonstrar perceber bem do que está a falar. Vidé posição que o ex-Presidente da República Mário Soares:
Oh homem! Desapareça.
assumiu em tempos não muito remotos.
E, apesar de tudo, a que assistimos? Jovens na flôr da vida - autênticos heróis nacionais - levantando bem alto a bandeira da união com os interesses mais lídimos da população. Não só os que foram atingidos por acontecimentos como o de hoje que, pela sua crueldade, garantem visibilidade suficiente para elevar o share de audiências da TV-X no mercado de Publicidade dos telemóveis, mas muitos, muitos mais que passam despercebidos a quem não está com atenção a esta luta surda.
Um Polícia frágil e dócil, mal paga, mal preparada, desmuniciada, reservada a um papel simbólico, sé serve governos fracos e incapazes. Até à data não tive o prazer de verificar um esforço genuino de colocar a Polícia noutra situação mais digna por parte de qualquer dos governos dos últimos anos. Apenas promessas não cumpridas, para salvar as aparências. Só um força é capaz de alterar esta situação. O discernimento público generalizado.
Caro Leitor: se partilha esta preocupação, se deseja chegar mais cedo ao País em que cada Agente é olhado e acarinhado como um Amigo, sem suspeições anacrónicas, não se deixe ficar no silêncio. Não deixe ficar na mão os que, dentro da Polícia, têm sido os mais esforçados construtores da mudança. Há indícios de que, aqueles que sonhavam com o regresso da polícia-instrumento-do-governo estão a ceder.

PÁSCOA

"Festa dos pastores nómadas pela chegada da Primavera, festa anual dos cristãos, comemorativa da ressurreição de Cristo,de étimo latino pascha,ae - decalque do grego indeclinável páskha, este também decalque do hebraico, passado às línguas românicas sob a influência cruzada do latim pascũa,(pastagem, pasta)" - Dicionário da Língua Portuguesa Houaiss.

Para mim, Páscoa é a celebração do renascimento, da vida, da mudança, da expectativa de aprender sempre mais, para compreender o possível,viver melhor e ser mais feliz.

Por isso, vou festejá-la para a semana, observando os brotos das plantas a despontarem, permitir que cresçam os melhores, retirando os fracos, ouvir os sons da Natureza,respirar um ar mais leve,mexer-me sem limites de paredes, longe dos vários ruídos urbanos, enfim, fingir que ainda pertenço a esta Natureza que teima em seguir em frente, indiferente aos nossos abusos, curando-se das feridas que lhe infligimos constantemente, arranjando defesas sempre diferentes para conseguir sobreviver.

Precisamos de trabalhar, eu sei, todos os dias, onde conseguimos fazê-lo, para a nossa própria sobrevivência mas, todos os dias nos esquecemos do nosso lugar neste mundo, que este planeta é vivo, que sofre mutações constantes, e que é mais forte do que nós próprios que, indiferentes a ele, estamos convencidos que o vamos "dominar".

ERRO nosso. Seremos, sim, nós os vencidos se não trabalharmos um desenvolvimento sustentável, se não abdicarmos do que não é realmente importante.

BOA PÁSCOA para vocês todos, que somos nós...

sexta-feira, março 18, 2005

Conversas no quintal

Teatro angolano que passa na RTP África às quartas-feiras pelas 20 - 20,30 H. Muito engraçado. Vale a pena ver a nova pequena-burguesia angolana retratada em pequenos quadros de cariz humorístico. Da autoria do Lázaro Rubio, amigo nosso, que entretanto parece ter-se retirado por motivo indeterminado.
Parabéns, Lázaro.

quarta-feira, março 16, 2005

Fotografia panorâmica


A vista da nossa casa feita por composição de 5 fotografias.

terça-feira, março 15, 2005

Viviana Ferrão

Viviana Ferrão
A mais recente descendente da família Ferrão chama-se Viviana, nasceu a 2 de Fevereiro com 3 quilos e 50 gramas. Os meus parabéns ao Jorge e à Elisabete.

domingo, março 13, 2005

Escritório


Acabado de saír do prelo, ainda quente, esta incursão pelos territórios da ficção tem mais sabor a actualidade que o material de Almanaque eufemísticamente denomidado Noticiário com que os órgaõs de Comunicação nos brindam. Marta Medina Cochat-Osório, advogada de profissão, tal como João Sem Medo, teve a coragem de saltar o muro que circunda Choraquelogobebes e , na primeira bifurcação, escolher o caminho oposto ao da Felicidade. Num texto de pouco mais de duzentas páginas introduziu quatro ou cinco saltos da vida do Protagonista: todos não planeados. Todos incontornáveis na necessidade de decidir imediatamente. O Protagonista, amante das relações gatificantes e duradoiras, mas não desprezando o alargamento do seu círculo social, habilmente e com extrema oportunidade, aceitando - e chorando - as perdas, vai-se reconhecendo nos novos ambientes onde as pedras basilares se sentem bem e o círculo aumenta em número e riqueza de personagens e vivências.
Notável.

Sabores da lusofonia


Nos sabores da lusofonia pode encontrar uma selecção de receitas de Angola.

Pequenos animais



Veja aqui mais algumas fotografias interessantes.

quinta-feira, março 10, 2005

Fotografia 360º da OutSystems

OutSystems

Obrigado ao Sven Hafner pela fotografia do meu local de trabalho. Se tiver o Quicktime instalado clique na imagem em cima, senão use este link.

quarta-feira, março 09, 2005

Quem não sabe, é como quem não vê...

Diz o povo, e tem razão.
Afinal é simples. Só que que se me meteu na cabeça que havia de entrar directamente a partir do teu blog e, porf isso, não passava dos comentários.
Afinal, quando coloquei o outro, primeiro e único "post", fi-lo sem sem ter plena consciência dos procedimentos que segui. Mas agora já não falha.
Mas, para além de conversa fiada, não tenho, de momento, nenhuma matéria interessante para contribuir, de forma criativa, para enriquecer o conteúdo do blog. Ando à procura de inspiração.
De maneira que, teremos que deixar para depois.

terça-feira, março 08, 2005

Receitas para máquinas de fazer pão



Angustiado com a qualidade do pão que encontro correntemente à venda, no ano passado decidi comprar uma máquina para fazer pão em casa. Não foi uma decisão fácil pois era frequente ter relatos de experiências frustradas com as mesmas. No entanto, achei que por 60€ valia a pena arriscar.
Tenho que admitir que as primeiras semanas foram bastante frustrantes. As receitas descritas nos manuais não me agradavam e nem sempre o pão ficava "apetecível". No entanto, uma vez que o dinheiro já estava gasto decidi ser teimoso e insistir com a máquina até ficar satisfeito com o resultado. Neste momento posso dizer que estou orgulhoso e tenho recebido alguns elogios pela qualidade do pão. Por isso decidi expôr aqui as receitas de maior sucesso.

Pão de água e sal
- 350ml de água;
- 10g de sal;
- 540g de farinha de trigo;
- 10g de fermento fresco;

Coloque os ingredientes pela ordem descrita em cima sem os misturar. Use o modo mais longo possível para pão branco (no meu caso é de 3h50m). Esta receita é especialmente indicada para preparar o pão do dia seguinte.

Algumas variantes deste pão:
- com oregãos - um complemento aromático muito agradável e que merece um bom azeite para acompanhar;
- com sementes de sésamo pretas - não afectam especialmente o sabor do pão mas dão um aspecto invulgar ao mesmo;
- com sementes de girasol - para quem gosta de um pão mais "forte".

Broa de Milho
- 600ml de água;
- 10g de sal;
- 500g de farinha de milho;
- 250g de farinha de trigo;
- 10g de fermento fresco;

Coloque os ingredientes pela ordem indicada. Use um programa "normal" (3h00 no meu caso). Esta broa não é indicada para fazer um pão "programado" para o dia seguinte pois existe o risco da massa não ficar bem. É conveniente "ajudar" a máquina no processo de mistura com uma colher de pau para garantir que a massa fica realmente uniforme.


Outros conselhos:
- para conseguir uma côdea estaladiça, escolha um modo "bem cozido", retire o pão da "panela" assim que acabar a cozedura e corte uma fatia para libertar o vapor em excesso;
- o fermento fresco é dificil de encontrar mas vale a pena pois é muito mais barato do que o fermento seco.
- para saber mais leia o artigo "Um pouco mais de pão..."

Etiquetas: , ,

segunda-feira, março 07, 2005

Vivó! Estou a bordo, finalmente.

Cheguei, finalmente, ao tombadilho do nosso veleiro.
Parece que, ontem, trepei pelas amarras, em vez de subir pela escada do portaló.
Agora é só desfraldar as velas e fazer-me ao vento.
Mas isso tem que ficar para mais logo, quando o vento estiver de feição e eu pronto para navegar. Por enquanto tenho que tratar do aprovisionamento.
Até logo.

domingo, março 06, 2005

Projecção de Gauss-Krüger

Está "no ar" a Projecção de Gauss-Krüger para quem gosta de cartografia e matemática. Os meus parabéns pelo trabalho.

Fotografias de família

Estão de volta as fotografias da nossa família.

Fotografia do Óscar


Aqui está de volta a fotografia do Óscar Ferrão que estava na página de entrada.

Web + simples = blog

Depois de algum tempo a tentar imaginar e desenhar uma página para o Ferrao.org acabei por desistir e aderir à moda dos blogs. Vamos ver se assim este site tem actualizações mais frequentes. Fiquei realmente impressionado com a simplicidade deste sistema.


hits: