quinta-feira, maio 03, 2007

Eugénio Rosa e a produtividade



Pode-se assim dizer que, para aquilo que os trabalhadores portugueses recebem, ainda têm uma produtividade superior à média comunitária.

...Em relação à produtividade do capital o silêncio tem sido absoluto. E isto porque falar desta produtividade tornaria visível, a nível da opinião publica, a responsabilidade dos empresários. Entre 2000 e 2004, segundo o INE, a produtividade do capital diminuiu em Portugal nas empresas com menos de 100 trabalhadores em -36,8% e, mas com 100 ou mais trabalhadores, a quebra atingiu -43,2%. A produtividade do trabalho embora tenha aumentado pouco (0,6% ao ano), cresceu sempre.

Excertos de: Eugénio Rosa,
BANCO DE PORTUGAL ABANDONA A INDEPENDENCIA
publicado por O diário.info em 29 de Abril de 2007

Etiquetas:

8 Comentários:

At 17:30, Blogger espumante disse...

Os numeros de Eugenio Rosa sao (sempre) extraordinarios... mas desta vez gostei mesmo foi da conclusao de que os trabalhadores portugueses teem produtividade a mais (para aquilo que ganham, bem entendido). Nao os merecemos, eh o que eh...
Um abraço

 
At 17:47, Blogger António Chaves Ferrão disse...

espumante: sejas bem aparecido.
repara que Eugénio Rosa tem sempre o cuidado de citar as fontes. A conclusão a que chega é perfeitamente justificada pelos números que apresentou: tu próprio, se aceitares os números como bons, poderás chegar à mesma conclusão. E se tens dúvidas a respeito dos números, podes usar o mail do autor para ele precisar melhor em que página dos documentos citados se encontram as informações.
Um abraço, e volta sempre.

 
At 21:12, Blogger Moriae disse...

Ouvi o Eugénio Rosa na Antena 1 um destes dias e percebi que os números oficiais são totalmente adaptados ao governo (perdoem-me mas de economia nada percebo ... infelizmente). Apenas não entendo como é que ainda não houve um conjunto de cidadãos, especializados na mesma área, a "saltar" e reforçar essa situação. É claro que não espero que sejam os media de primeira (ironia minha mas verdade por circunstância) a referi-lo.
Ainda bem que há um Eugénio Rosa.

 
At 13:00, Blogger António Chaves Ferrão disse...

Moriae: obrigado pela visita. Não são necessárias muitas vozes. Basta uma, mas que seja convincente. E Eugénio Rosa, pelos cuidados que põe nos seus textos, é concerteza.

 
At 13:21, Blogger José Ferrão disse...

A diferença entre a produtividade portuguesa e a produtividade europeia só pode estar na gestão: os trabalhadores portugueses são os mesmos, a legislação e a gestão é que são diferentes.

 
At 20:29, Blogger Moriae disse...

Não tenho tempo para estudar tudo o que gostaria ... e este assunto começa a ser muito importante para qualquer pessoa. Para podermos perceber melhor. Como não interessa a quem se sabe, não é dado destaque às várias maneiras de se analisar a coisa. E ficamos com a versão que quem sabemos decide ser a melhor. Por isso é que gostava que houvesse mais informação sobre o assunto. É óbvio que estudarei mais ... e obrigada pela vossa ajuda :)

 
At 09:21, Blogger José Ferrão disse...

Acho que para além da gestão, que referi acima, também há um problema grande que é de mentalidades, mas esse já é de natureza cultural.
Quando um AJJ ganha as eleições na Madeira, as pessoas em vez de se voltarem para o governo central a reclamar como é que os madeirenses gozam duma assistência social que os do "contenente" não conhecem, preferem voltar-se para o "macaco das bananas" a dizer que não pode andar a esbanjar os dinheiros públicos.
Ou seja, preferem sempre nivelar-se por "baixo" do que por cima, reduzindo toda a lógica (ou a falta dela) da irracionalidade da despesa pública a uma simples questão de polícia.

 
At 19:05, Blogger Moriae disse...

Sim ... no fundo, transmitem aquilo que lhes é dado para transmitir por esse mesmo governo central ... que tristeza...

 

Enviar um comentário

<< Home


hits: