segunda-feira, janeiro 14, 2008

François Ruffin - Trabalho e Capital

"A parte dos lucros é hoje invulgarmente elevada (e a parte dos salários invulgarmente baixa). Na realidade, a amplitude desta evolução e o leque dos países a que diz respeito não tem precedentes nos últimos 45 anos."
... estas linhas ... estão num artigo do Banco de Pagamentos Internacionais (BPI), instituição que todos os meses , em Basileia, reune os responsáveis dos bancos centrais... Não se trata propriamente de um covil de marxistas, mas o seu requisitório contra a referida "margem de lucro de um valor sem precedentes" ocupa vinte e três páginas do referido texto (Luci Ellis e Kathrin Smith, "The Global Upward Trend in the Profit Share", Bank of International Settlement, Working Papers, nº 231, Basileia, Julho de 2007).
Com esta transcrição começa François Ruffin o seu excelente artigo, que vale em todos os seu parágrafos. Por ele ficamos a saber que, enquanto eminentes socialistas Vitor Constâncio, José Sócrates e Vital Moreira e Vieira da Silva continuam a praguejar contra os privilégios dos trabalhadores, os banqueiros já estão preocupados com possíveis revoluções caso não se ponha termo a esta grande bouffe do Capital.(AF)

in François Ruffin, SALÁRIOS: O TABU DA PARTILHA DA RIQUEZA
publicado por Le Monde Diplomatique em Janeiro de 2008

Etiquetas: , , , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home


hits: