quarta-feira, abril 16, 2008

Isabel do Carmo - Os sustentáculos do capital financeiro

Isabel do Carmo
Há um nova classe social que beneficia da riqueza em termos verdadeiramente escandalosos. Trata-se dos gestores das grandes empresas, dos detentores de cargos apenas por título, que nadam em riqueza criada muitas vezes não passando sequer pela produção, mas apenas por mecanismos financeiros.


Isabel do Carmo in "Crise? Ou aprofundamento das desigualdades?"
publicado por Visão em Abril de 2008

Mais de dez milhões de dólares por dia de calendário, eis o vencimento do especulador mais bem sucedido na Wall Street em 2007.

Especuladores


Fonte: The New York Times

Etiquetas: ,

6 Comentários:

At 23:36, Blogger espumante disse...

Pronto, pá. Se a Isabel do Carmo o diz... e calma que a senhora com jeitinho ainda rebenta com os "gestores" todos à bomba. Ou manda-os torturar. Depois aparece um socialista qualquer a indultá-la.

Boa escolha, meu caro. Ganda mulher...

 
At 23:43, Blogger António Chaves Ferrão disse...

Espumante: por uma vez na vida, podias entender as palavras em vez de estigmatizar a pessoa?
Não te referiste à notícia (de hoje) do New York Times. Nada que destoe das previsões de Lenine em 1916 (Imperialismo, estádio supremo do capitalismo), ou o papel asfixiante do capital financeiro para a economia. Para a próxima citarei este outro autor, talvez prefiras.

 
At 01:01, Blogger Kl@ndestino disse...

Amigo Ferrão, alguns de nós que tivemos no 2º Jantar Blogosférico, estamos agora também aqui:

http://kldt.blogspot.com/

1 Abraço!

 
At 08:25, Blogger António Chaves Ferrão disse...

Amigo Kl@ndestino
Fui espreitar o novo blog. Aquilo é malta da pesada. Estarei com atenção.
Um abraço

 
At 17:29, Blogger espumante disse...

António Chaves Ferrão. Mas eu fiz-me desentendido das palavras? Ou serei burrinho tout court? E estigmatizo quem ou quê? Limitei-me a reagir, pelo facto de teres seleccionado uma pessoa que do meu posto de vista é pouco recomendável. Para dizer o mínimo. E pouco recomendável por um lado, porque essa senhora é perigosa, cínica e mentirosa e, em podendo, faz das dela outra vez. Vale-lhe viver num país livre que lhe permite continuar as suas consultas de endocrinologia com toda a tranquilidade e cobrando ao nível de um país capitalista que se preze. Por outro lado, porque me pergunto que autoridade é que vês na senhora para doutrinares aquilo que a senhora diz. Qualquer pessoa pode dizer o que ela diz, sem perceber um chavo de economia. Porquê ela? Por ser de esquerda? Por ser ... o quê? O que é que esta mulher fez para além daquilo que a levou a ser presa e indultada?
O que se passa é que vai por aí uma excitação muito grande perante a crise que o capitalismo atravessa. As colunas abanam e a esquerda rejubila pelo descalabro eminente do edifício. A esquerda jamais saberá o que fazer na eventualidade de um colapso do sistema. Como nunca soube em período algum da história. Mas rejubila, na mesma. É o estilo do tal e coisa depois logo se vê. É preciso é implodir os barões da direita.
Tenho uma convicção muito grande de que o capitalismo se manterá como o melhor sistema capaz de proporcionar o bem estar e o desenvolvimento das pessoas. Ainda não consegui sentir uma alternativa. Até lá, e de cada vez que o capitalismo tremer, terei de ouvir e sentir o carrocel hormonal da esquerda, à espera do clímax - a derrocada do capitalismo para a implantação de... do... da... hummm... logo se vê!
Um abraço

 
At 23:09, Blogger António Chaves Ferrão disse...

Espumante
Eu até aprecio bem as tuas visitas e os teus comentários, que agradeço.
Isabel do Carmo terá lá os seus telhados de vidro e tu a tentação de atirar pedras.
Mas isto é mais do que entretenimento, e já nem interessam os clichés. Tens filhos e netos tal como eu, o dever de procurarmos conhecer o que virá não pode ser displicentemente delegado em terceiras partes. Tu dizes que não sabes, eu também não. Pelo menos podemos conhecer o estado das coisas, não. A solução poderá ser estudada mais tarde.
Um abraço.

 

Enviar um comentário

<< Home


hits: