segunda-feira, abril 14, 2008

Jorge Coelho, o gestor de infra-estruturas

Jorge Coelho - Pode entrar, Sr Dr. Coelho. Faça o favor de se sentar.
- Boa tarde.
- Vamos directos ao assunto. O que o traz à Mota Engil? O Sr Dr tem experiência em construção civil?
- Tenho, na área de gestão.
- Gestão? Explique-se melhor.
- Manutenção de infra-estruturas.
- Que tipo de infra-estruturas?
- Pontes.
- Em que consistiu a sua acção no passado?
- Na minha qualidade de responsável nacional por um sector de actividade, demiti todos os directores nacionais e substitui-os por pessoas da minha confiança.
- Bom, sabe. Os engenheiros competentes nem sempre são gente cordata...
- Isso eu sei. Por isso é que não os aturo. Corro com eles à pedrada. À cautela, sempre fui perguntando ao primeiro-ministro da altura se havia algum risco de a Procuradoria Geral da República incomodar, mas ele garantiu-me que estava tudo sob controlo.
- Não é exactamente nesses termos que me recordo das noções de gestão, porém o Sr Dr é o expert no assunto. Tem referências?
- As minhas referências mais significativas são internacionais.
- Mas isso é muito bom.
- Tenho aqui um recorte de jornal alemão que documenta a minha projecção internacional nesta matéria. Não entendo o que está escrito, mas repare bem na minha fotografia. Veja que apareço logo na primeira página...
- Nem posso crer. Mas afinal é verdade. Olhe, ainda bem que estudei na Alemanha. Deixe cá ver o que diz o título: "Portugal, o país em que as pontes caem."

Etiquetas: , ,

5 Comentários:

At 03:20, Blogger paula montez disse...

DIA D: Que os professores possam decidir em plena consciência!
http://escolapublica2.blogspot.com/2008/04/dia-d-que-os-professores-possam-decidir.html

 
At 15:36, Blogger J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Como simpatizo com Jorge Coelho, sinto-me em posição desconfortável para comentar o seu post. Mas é um post excelente e cheio de humor...
Abraço

 
At 08:00, Blogger António Chaves Ferrão disse...

J Francisco Saraiva de Sousa
Jorge Coelho é, pessoalmente, afável e conversador. Porém o assunto é uma hierarquia específica de valores, a meu ver demasiado ajustada contra o bom funcionamento da administração pública.
Que já fez as suas vítimas, com total impunidade. A culpa continua a morrer solteira.
Obrigado pela sua visita e pelo comentário.

 
At 19:21, Blogger Ferroadas disse...

O problema deste país não são as pessoas, são as políticas. Duvido da competência para a função (Mota & Engil) do Sr. Coelho que ao servir-se da política e da sua passagem pelo Ministério da Obras Públicas se vê confrontado com esta chatice enorme em ir ganhar uns cobres para uma das empresas a quem ele (Sr Coelho) deu montes de €€€€€€€€ a ganhar.

Promiscuidade? pagamento de favores? compadrio?

É o sistema capitalista/burguês a fazer mais um filho.

Abraço

 
At 00:56, Blogger red disse...

Parabéns pelo excelente humor utilizado para caracterizar mais um exemplo da promiscuidade entre os corredores do poder político e os corredores do poder económico. É o capitalismo no seu melhor demonstrando claramente como se alimenta e do que se compõe.

Um abraço
Vermelho Vivo

 

Enviar um comentário

<< Home


hits: