terça-feira, julho 01, 2008

Eugénio Rosa - Crescimento negativo

Caro (a) amigo (a)

A OCDE acabou de apresentar o seu relatório sobre Portugal referente a 2008.

Existem aspectos importantes nesse relatório que foram ocultados pela secretário-geral da OCDE no discurso de apresentação que fez, em que esteve presente o ministro das Finanças, e que também foram ignorados pela generalidade dos media que trataram desta matéria, mas que merecem, a meu ver, uma atenção especial pois constituem algumas das causas mais importantes da baixa produtividade e competitividade da economia portuguesa.

Esses aspectos são nomeadqamente o "crescimento negativo" da produtividade multifactorial registado nos últimos anos e a desindustrialização que se tem verificado em Portugal.

São precisamente estes dois aspectos que analiso neste estudo assim como a redução da despesa com o subsidio de desemprego em -14%; o aumento em +99% do saldo global da Segurança Social; a utilização do excedente assim criado para baixar a taxa de contribuição das empresas para a Segurança Social e para multiplicar de isenções, resultante do acordo assinado pelo governo, pelas associações patronais e pela UGT sobre a revisão do Código do Trabalho, tudo isto feito à custa da Segurança Social.

Espero que este estudo possa ser útil.

Com consideração
Eugénio Rosa
Economista
edr@mail.telepac.pt
28 de Junho 2008

Etiquetas: , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home


hits: