sexta-feira, setembro 05, 2008

Correia da Fonseca - Estórias para boi dormir

A suposta «agressão russa» à pequenina Geórgia serviu aos Estados Unidos para, graças à gigantesca máquina de manipulação social de que dispõem, apresentarem aos cidadãos do Ocidente uma Rússia agressiva e brutal, à imagem e semelhança da caricatura grosseira que da URSS foi em tempos impingida ao mundo aliás com grande êxito. A televisão portuguesa cumpriu nesta manobra um importante papel, e nem outra coisa era de esperar em face do seu currículo.

Porém, acontece que, sendo desde há muito um intenso e ávido consumidor de informação televisiva, acabei por me atrever a ter opinião ou pelo menos palpites. Assim, no quadro de quanto aconteceu recentemente no Leste europeu e em torno da Rússia, o que me parece mais relevante, mais significativo e também mais perigoso, não é o conflito georgiano, pese embora a realidade terrível que mesmo uma guerra de dimensões limitadas constitui para as populações, mas sim a instalação de mísseis USA na Polónia, isto é, praticamente na fronteira da Rússia. Os serviços noticiosos da televisão portuguesa deram ao facto escassa ou nenhuma importância, o que bem se compreende. Mas, com razão ou sem ela, lembrei-me, como de uma ameaçadora simetria, da dramática crise há décadas desencadeada pela instalação de plataformas de mísseis soviéticos em Cuba, isto é, praticamente na fronteira dos Estados Unidos. Diz-se que se esteve então à beira da Terceira Guerra Mundial, e talvez seja verdade. Gostava de que me explicassem devagarinho a diferença substancial e decisiva entre a instalação de mísseis soviéticos em Cuba nesse ano já distante e a instalação de mísseis norte-americanos na Polónia neste ano da graça de 2008. Agradecendo antecipadamente que não me contem estórias de «mísseis defensivos» porque de estórias para boi dormir, como se diz no Brasil, já tenho o saco cheio.


Correia da Fonseca, A simetria, ODiario.info, 2 de Setembro de 2008

Etiquetas: , , , , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home


hits: