domingo, novembro 09, 2008

Sou contribuinte, não voto P$

 

Os valentes professores que ontem invadiram a baixa de Lisboa, gritaram em uníssono "sou professor, não voto PS".
Tinham eles toda a razão, na medida em que parece claro que, para aquele partido poder renovar a sua maioria absoluta, não deverá contar com a classe dos docentes.
Mas foi um slogan redutor, porque o partido do governo se identifica cada vez mais com um Robin dos Bosques à portuguesa, mas no sentido mais pejorativo do termo.
Tirar aos pobres para dar aos ricos, é o lema que melhor se adequa às políticas do governo.
Aqueles que ainda se conseguem manter no activo, são rotulados de privilegiados e esfolados até ao tutano, através da redução de efectivos até ao limite considerado suportável para poder transmitir a ilusão de que tudo está bem, e alguma coisa que não esteja só pode ser resultado de uma deficiente avaliação do desempenho individual.
E aqueles que se vêem atirados para o desemprego não têem ao seu alcance senão subsídios de sobrevivência que são incapazes de se converter em iniciativas geradoras de impostos.
Os contribuintes que auferem rendimentos do seu trabalho, sentem que são chamados a pagar tudo aquilo que deveria ser custeado pelo estado, e que serve de fundamento para a cobrança dos impostos. Descontam para a reforma, e vêem-se obrigados a custear uma reforma particular; descontam para a educação, e vêem-se obrigados a colocar os filhos em colégios; descontam para a segurança, mas necessitam de segurança privada. A saúde, justiça e tudo o mais idem, idem.
Os contribuintes que dependem da atribuição de subsídios, esses sentem que têem mais a ganhar se engendrarem esquemas destinados a subverter a lógica que determina a atribuição dos subsídios, do que se capitalizarem o recurso aos benefícios sociais em favor da procura de actividades de valorização económica.

5 Comentários:

At 14:09, Blogger Maria Lisboa disse...

DEve ser por serem incentivados pelos CE, como garante o Pai da Nação!

Criança foi alegadamente ferida pela polícia na Escola C+S de Alfragide
10 de Novembro de 2008, 10:56

Uma criança ficou ferida depois de a polícia ter, alegadamente, carregado sobre os alunos da Escola C+ S de Alfragide. A criança encontra-se em casa, exibindo as costas marcadas e em sangue, referiu a mãe em declarações à Agência Lusa.

A mãe, Irene C., afirmou que a filha depois de agredida foi para casa tendo recebido um telefonema já no trabalho a dar conta da situação.

Em frente à escola C+S de Alfragide, Irene C. adiantou que aguarda pela chegada da filha para ir com ela à esquadra apresentar queixa.

A mãe afirmou, irritada: "Isto é uma vergonha. O que é que a polícia faz de cassetete na mão contra uma criança de 10 anos?".

Uma fonte da polícia, quando confrontada com a questão, respondeu: "Terá de perguntar às crianças. Aqui não se resolve nada. Elas é que começaram com isto tudo".

Neste momento já são menos os alunos que se encontram fora do recinto escolar onde também são poucos os professores, tendo a maioria deles já entrado para o interior da escola.

Para aqueles que ainda se mantêm no exterior, cerca de uma centena, a palavra de ordem é «Não há aulas» e, em declarações à Agência Lusa, afirmam que o protesto é contra o estatuto do aluno. A mesma fonte assegurou que o protesto conta com o apoio dos estudantes e da grande maioria dos professores.

Questionados pela Lusa sobre quem acorrentou os portões da escola a cadeado, todos afirmaram desconhecer quem o terá feito.

SAPO/Lusa
http://noticias.sapo.pt/infolocal/artigo/895319.html

 
At 14:19, Blogger Maria Lisboa disse...

A referência ao Pai da Nação é feita tendo em conta esta afirmação nojenta:


Deve ser porque "'Os alunos têm razão, mas não para fazer greve. Estão a ser manipulados pelos Conselhos Executivos, para criar um ambiente propício às manifestações dos professores. É lamentável a cortina de fumo que está por trás dessa manifestação, que se trata de um grande embuste', afirmou Albino Almeida.

http://www.confap.pt/desenv_noticias.php?ntid=1066

 
At 14:19, Blogger Maria Lisboa disse...

o "deve ser porque" está a mais, como é óbvio.

;)

 
At 19:48, Blogger José Ferrão disse...

Cara amiga,
Pode escrever que esta ministra há-de ser a coveira da maioria absoluta que nos desgoverna.
A aposta agora, resume-se a procurar atirar os professores que aceitam o modelo, contra aqueles que não o aceitam.
Muito obrigado pela visita.

 
At 12:12, Blogger Madalena disse...

Eu só voto Manuel Alegre! Esperemos que venha a ser possível votar outra vez nele!

 

Enviar um comentário

<< Home


hits: